domingo, 14 de novembro de 2010

baptista-bastos

Um pequeno livro fantástico que nos renova a leitura e as expectativas com a literatura. Há livros assim felizes que nos encantam! Partilho algumas citações, uma entrevista publicada no "Público/Ipsilon" de 22 de Junho de 2007, assim como dois textos críticos sobre o livro "As Bicicletas em Setembro", de Baptista-Bastos. Nada melhor que ler este pequeno-grande livrinho.
"De uma maneira ou de outra, todos somos caídos..."



  • "Tinham falta de alguma coisa, e alguma delas de tudo; porém, a maior era a falta de esperança."
  • "As mulheres têm entre as pernas um mistério que os homens em vão querem descobrir."
  • "Em cada mulher há um mistério a descobrir."
  • "Há muitas coisas que se não dizem, ou só se podem dizer através do silêncio ou do olhar."
  • "Fixar as coisas e as emoções que desencadeavam. As coisas perdem-se com o tempo, dizia, mas as emoções, essas, subsistem. O que conservamos de um lugar, dizia, são as emoções que esse lugar em nós despertou, e os lugares que recordamos estão cheios de todas as emoções perdidas: a da juventude."
  • "Há palavras claras e palavras escuras..."


"«Não se morre», disse Jesuína, «apenas se muda de lugar.»
«E para que lugar vamos?»
«Aí é que está o mistério», disse Jesuína. «Vreio que a nossa alma sai muito depressa do corpo, e mergulha na imensidão.»
«Que imensidão?»
«Aí é que está o mistério. Não se sabe se vai para a imensidão da luz ou para a imensidão das trevas. Morrer é sempre ir para outro lado.»
«E porque razão não se sabe nada desse lado?»
«Aí é que está o msitério.»
  • "A morte pode explicar muitas solidões, porque a solidão nao é uma enfermidade da alma: são muitas."
  • "«É melhor ter amado e perdido, do que nunca ter amado.»"
  • "Os sonhos não devem ser revelados. Dá azar contar os sonhos. Os sonhos pertencem a quem sonha. É a única coisa que ninguém pode roubar aos outros. Talvez seja por isso que os sonhos não têm voz: receiam que os usurpem."
  • "... na vida é preferível deixar algumas coisas por fazer; e o pior que pode acontecer a uma pessoa é não ter ninguém em quem pensar. Também sabe que o amor traz o desejo de descobrir coisas novas."


"... o desejo que surge como um vendaval, explica-nos que o desejo não é uma banal coincidência, é a alma do sexo, o sexo tem alma e essa alma não é demoníaca, bem pelo contrário, é uma alma abençoada, e também fala do estrelejar que sentem as mulheres quando a alma do sexo se incendeia, uma flor aberta, um regalo de aroma, estamos muito atentos, e também diz que ela própria gostava muito do odor dos sexos, os sexos com alma possuem um odor doce e ao mesmo tempo agressivo, as mulheres maduras e ávidas sentem esse odor quando passam pelos homens, e os homens sentem, igualmente, o odor da boca dos corpos, a boca dos corpos é o sexo da mulher, do sexo dos homens diz-se muitos nomes, muitos nomes têm oo sexo dos homens, mas nenhum é tão bonito quanto este, dado ao das mulheres."




  • "... as palavras comportam várias direcções e possuem o peso que cada um lhes deseja emprestar."
  • "A felicidade não existe; há, apenas, instantes felizes. Também se diz que não se pode ter tudo."
  • "Afinal, passamos a vida a ser outro, a escondermo-nos de nós próprios."
  • "... não há verdade, há verdades; não há realidade, há realidades."
  • "Para se ser feliz, por vezes é preciso chorar."



  • "... há uma zona obscura, secreta, em cada um de nós, que temos de resguardar."
  • "Sublimávamos a memória ausente com as ausências que nós próprios infligíamos à memória."

























1 comentário:

Rose Marinho Prado disse...

Q legal! Muita frase a ler.